sexta-feira, 22 de julho de 2011

A revolução já começou

Um intelectual conhecido meu, jornalista, ex-Itamaraty, assessor no Senado Federal, me contou, outro dia, o seguinte: o elevador privativo dos senadores quebrou. Meu conhecido estava no elevador dos funcionários, meio lotado e já programado para parar em diversos andares, quando entrou o empresário alagoano senador Fernando Affonso Collor de Mello (PTB), ex-presidente da República. Entrou e foi logo ordenando ao ascensorista:

- Vai direto para o andar tal.

Ao que o ascensorista retrucou:

- Não! Há todas essas pessoas que vão ficar antes.

- Você é terceirizado? – perguntou Fernando Collor, olhando o ascensorista do alto do seu nariz empinado.

- Sou concursado, graças ao meu esforço pessoal – respondeu-lhe o ascensorista, acertando um direto no olhar aristocrático de Collor.

Caiu o pano.

Meu conhecido também me contou outra no contexto da de Collor. O maranhense Zé Sarney, um dos cartolas do PTPMDB, presidente do Senado, tomou o elevador com o ascensorista e uma mulher grávida. Como seu parceiro Collor, foi logo ordenando ao ascensorista para ir diretamente o andar tal. O ascensorista explicou que teria que parar o elevador antes do andar de Zé Sarney, para a senhora sair. Sarney olhou para a mulher.

- Mas ela não está doente! – argumentou.

- Mas está grávida, e mesmo que não estivesse é direito dela parar no andar que ela pediu, antes do senhor – respondeu o ascensorista. Certamente concursado também.

O imortal engoliu em seco. Caiu o pano.

Isso é sintomático de que há uma nova geração, uma nova mentalidade, grassando neste país tão corrupto. O tumor lulapetista está suturando. O aparelhamento do Estado; a formação de quadrilhas como a do Mensalão; o arrocho tributário; a falência dos setores da Educação, Saúde e Segurança; a corrupção se acamando nas três esferas de poder (Executivo, Legislativo e Judiciário); a impunidade; a tentativa de calar a imprensa com o objetivo de dar um golpe na democracia e instalar uma ditadura, senão como a do carniceiro Fidel Castro, mas até como a do palhaço trágico Hugo Chávez, tudo isso começou a espirrar como carnicão.

Dilma Rousseff, a “presidenta”, como ela gosta de ser chamada, é uma faca de dois gumes para Lula, que tentará, se for preciso desesperadamente, voltar de qualquer maneira em 2014. Aliás, ele voltou a fazer discurso até em batizado e enterro. Só que Dilma não aguentará o tranco e não conseguirá estancar a sangria. Todos os dias, a mídia nacional estampa as bandalheiras cabeludas de assaltantes de colarinho branco. E tem o PMDB, que conspira o tempo todo. Também tem a web, que vem derrubando corruptos mundo afora.

Isso é democracia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário