domingo, 22 de julho de 2012

Ao ditador da Síria só resta pedir ajuda ao Foro de São Paulo

BRASÍLIA, 22 de julho de 2012 - Bashar al-Assad, o sangrento ditador (qual não é?) da Síria, por mais de 4 décadas, deverá ser assassinado ou pego nas próximas horas. Pode até demorar dias, mas já tem fogo reservado para ele. Os rebeldes estão avançando em Damasco e a debandada na cúpula da ditadura já começou. Assad mandou torturar e assassinar até crianças. Milhares delas. Ele ainda mantém um arsenal de armas químicas, mas os judeus já estão trabalhando para destruí-lo.
Assad tem apoio do czar Vladimir Putin, da China e do Irã, por isso as forças das Nações Unidas, leia-se Estados Unidos, ainda não intervieram. A Assad só resta pedir apoio de Hugo Chávez, que aproveitaria para estender o bolivarianismo para a Ásia Menor. Mas para isso teria que pedir ajuda ao Foro de São Paulo, que reúne os ditadores e candidatos a ditador da América do Sul.
O fato é que o melhor que Assad pode fazer é rezar, porque logo estará ardendo como churrasquinho.
Nessas alturas, ditadores do mundo inteiro, e candidatos, estão botando a barba de molho. Lula já a perdeu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário