terça-feira, 18 de junho de 2013

O PTralha começa a ruir na sua própria merda

BRASÍLIA, 18 DE JUNHO DE 2013 – Quando Lulapresidenta, proprietário do PTralha, anunciou, eufórico, em 2007, que o Brasil seria sede da Copa das Confederações, ora em curso, e da Copa do Mundo de 2014, vislumbrava as possibilidades financeiras que isso proporcionaria, não para o país, mas para a burra do partido. Foi um tiro no pé.
 
Na ocasião, o então presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o notório Ricardo Teixeira, afirmou que o poder público nada gastaria com atividades desportivas. “A Copa do Mundo é um evento privado” – garantiu. Agora, já se sabe, os gastos serão superiores a R$ 7 bilhões; só o Estádio Mané Garrincha, do Distrito Federal, governado pelo petralha Agnulo Queiroz, custou cerca de R$ 1,7 bilhão, quando foi orçado em R$ 600 milhões. O setor de Saúde de Brasília é um corredor da morte; e Agnulo é médico(?).
 
“Os grandes patrocinadores dos eventos são empresas de marcas famosas, mas o que nós vemos são recursos públicos fazendo os investimentos nas obras de infraestrutura no Brasil” – comenta o jornalista José Cruz, que cobre há mais de duas décadas os bastidores da política e economia do esporte. O experiente jornalista observa que o Ministério do Esporte cada vez mais abraça o futebol, “área que não é da sua competência”. José Cruz afirmou, há algum tempo, que o a pasta vem liderando campanha pelo perdão das dívidas fiscais dos clubes e fornecendo recursos para formação de atletas em grandes clubes, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte. “Os megaeventos são privados, mas os recursos são públicos.”
 
A mais influente revista semanal brasileira, Veja, afirma, em matéria de capa, edição de 26 de outubro de 2011, que o custo anual da corrupção no Brasil é de R$ 82 bilhões. Só para se fazer uma comparação, isso é quase 10 vezes o PIB do estado do Amapá, na Amazônia, onde o maranhense Zé Sarney vem se refugiando, eleito perpetuamene senador pelos tucujus. A reportagem de Veja, assinada por Otávio Cabral e Laura Diniz, confirma que o Brasil é um dos países mais corruptos do planeta.
 
Desde a instalação da república da mediocridade, em 1 de janeiro de 2003, foram desviados dos cofres brasileiros pelo menos R$ 800 bilhões. Coincidência? Segundo Veja, o governo federal emprega 90 mil pessoas em cargos de confiança. Nos Estados Unidos, são 9.051. Na Grã-Bretanha, cerca de 300. “Isso faz com que os servidores trabalhem para partidos, e não para o povo, prejudicando severamente a eficiência do estado” – afirma Cláudio Weber Abramo, diretor da Transparência Brasil. Cerca de 120 milhões de pessoas vivem exclusivamente de vencimentos recebidos da União, estados ou municípios.
 
Após 10 anos de república da mediocridade, uma década com o país estagnado e roubalheira crescente, a pilhagem flagrada em obras para a Copa das Confederações revoltou os brasileiros. No Brasil, morrem cerca de 100 mil pessoas assassinadas, todos os anos, no trânsito e nos corredores dos hospitais públicos. Assim, nessa segunda-feira 17, mais de 250 mil pessoas participaram de protestos em várias cidades de norte a sul do Brasil contra a bandalheira que vem sendo empurrada sem cuspir no traseiro do povo, incluindo o que recebe bolsa-esmola (daí não reclamarem), desde 1 de janeiro de 2003. Foi a maior mobilização popular do Brasil desde os caras pintadas, em 1992, exigindo o impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello. A propósito, Lulapresidenta cooptou a União Nacional dos Estudantes (UNE); só não sei identificar com que tipo de bolsa.
 
O fato é que o povo, massacrado pela violência; preocupado com a falta de investimento em Educação; acossado pelo Leão, injusto e escorchante; violentado pela corrupção; sem perspectivas; roubado por banqueiros, telefônicas etc. etc., já que não há fiscalização e a impunidade impera; cansado de tanta sacanagem contra si, começa a descobrir que os PTralhas estão fodendo o Brasil, e que está na hora de enviar essa canalha para Cuba.

Um comentário:

  1. Grande jornalista, sempre coerente. Abraço do amigo Marcos Machado

    ResponderExcluir