segunda-feira, 1 de julho de 2013

Brasília em chamas

BRASÍLIA, 1 DE JULHO DE 2013 – A presidenta (sic) Dilma Rousseff é uma pata manca. Quando trabalhei na Câmara Federal, vi-a algumas vezes, ainda ministra, em audiências públicas. Lembrava-me uma aristocrata falida, e seu nariz ficava ainda mais empinado ao cortejo dos deputados que a cercavam, como cachorros sacudindo o rabo, farejando que ela seria presidente. Falava com arrogância, como alguém que não tem noção de que o mundo jamais se apresenta com as mesmas cores para todos. Lula, o Bode, estudou-a longamente e viu que tinha nas mãos a pessoa certa para seu plano, e elegeu-a por meio da Bolsa Família. Vendo que Dilma é incompetenta (sic), o povão clamaria por Lula, em 2014. Ele tem uma intuição diabólica. Mas sofre de um problema semelhante ao de sua marionete: pensa que estamos no século passado.

O Brasil permanecerá acéfalo até outubro de 2014, descarrilado, voando para o precipício. Dilma Rousseff não tem condições de compreender o que vem ocorrendo. A inflação está comendo a Bolsa Família e não há mais verba para essa armadilha social, até porque ela é desviada, como de resto qualquer verba pública, desde 1 de janeiro de 2003. E depois, a mídia pós-moderna, a mesma que o PT usava como contra informação, flagrou Lula, exibindo o mentiroso em todo o seu descaramento, na sua falta de pudor, na sua patifaria, sua canalhice, e Dilma Rousseff é apenas o papagaio de Lula.

A inflação, que Fernando Henrique Cardoso debelou, está de volta, sempre perigosa; o país parou de crescer e ruma para a estagnação, com sua infraestrutura sucateada; a roubalheira anual atingiu os R$ 200 bilhões; os mafiosos do Congresso Nacional rosnam cada vez mais alto para Dilma; a população urra nas ruas; Brasília está em chamas. O que fazer?

Não precisamos mexer na Constituição, nem de plebiscito. Foi com plebiscitos que o zumbi Hugo Chávez, o ladrão bolivariano, fez a festa no traseiro dos venezuelanos, que estão se tornando os novos cubanos. A diferença é que o zumbi ladrão contava com as Forças Armadas da Venezuela, e a presidenta Lula jogou as Forças Armadas do Brasil a pão e água durante toda essa década de desmantelamento do Estado brasileiro, rumo ao saque total, de um jeito ainda pior do que Fernando Affonso Collor de Mello pretendia fazer, pois nas ditaduras ditas de esquerda rouba-se até a identidade do povo.

Acho que nos próximos dias, até outubro de 2014, algumas coisas vão acontecer, como a prisão dos mensaleiros; a extradição de Cesare Battisti para a Itália; o infame transporte público brasileiro deve cair para R$ 1 ou R$ 2; políticos safados, inclusive santarrões proctologistas, serão agredidos na rua; ladrões de merenda escolar e de material hospitalar correm o risco de perder as mãos; patrimonialistas serão ameaçados de tomarem vergastadas de cipó de goiabeira, nus, em praça pública; a escandalosa dinheirama que os príncipes do Legislativo embolsam deverá encolher e o salário de professores e médicos, ser ampliado; o povo exigirá o envio de 6 mil políticos brasileiros para morarem definitivamente em Cuba; será exigida a suspensão da transposição do rio São Francisco e devolução da verba desviada nesse gigantesco assalto; deverá ser realizada rigorosa auditagem por empresa internacional da Ferrovia Norte-Sul, Petrobras, Vale, Maranhão, Amapá, família do Lula etc. etc. etc.

Em outubro de 2014, poderá ocorrer o seguinte:

 Lula ser reconduzido ao cargo do qual ele nunca saiu, o de presidente. Nesse caso, terá força para instalar sua tão sonhada ditadura.

– Dilma Roussef ser reeleita. Então, Lula continuará como ditador nas sombras.

– Marina Silva ser eleita presidente. Se isso se concretizar, Marina picotará o Brasil em nações indígenas; embargará as hidrelétricas em obras; nacionalizará os grandes grupos empresariais, a começar pela Globo (o Bradesco não escapará); instalará uma ditadura semelhante a de Cuba.

– Eduardo Campos ser eleito presidente. Não se sabe o que vai dar, mas qualquer coisa será preferível a Lula, Dilma ou Marina.

– Aécio Neves ser eleito presidente. Pelo menos terá FHC como conselheiro. Quer queira, quer não, o PT ainda não destruiu o Brasil porque Lula manteve algumas diretrizes básicas fundadas pelo PSDB, inclusive a Lei de Responsabilidade Fiscal, contra a qual a bancada do PT no Congresso votou contra.

Bem, poderá ocorrer isso, se o povo não entregar um cheque em branco para os chefões da máfia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário