sábado, 27 de julho de 2013

O PT resvala, fedendo a carniça, para o limbo, mas carregando o ovo da serpente

BRASÍLIA, 27 DE JULHO DE 2013 – Com exceção dos corruptos e incautos, todos sabem a que veio o PT: aparelhamento do Estado, desmoralização da democracia, censura prévia, mensalão, pilhagem, corrupção generalizada, bacanal, 120 Dias de Sodoma, mentiras e mais mentiras. Lula e preposta sempre mentiram, pois sabem que o povão vota pela Bolsa Família, razão pela qual não quer saber se isso lhes custará o desenvolvimento de sua família e o futuro dos filhos. Aliás, a maioria do curral não sabe o que é desenvolvimento, nem futuro.

Assim, Lula e corja sabem que intelectuais, alguns jornalistas, financistas, a classe média, está ciente, ou pelo menos têm noção, de que o PT é uma quadrilha (como ficou comprovado no processo do mensalão, no Supremo), e que, desde sempre, seu objetivo é instalar uma ditadura no Brasil sugar o erário, como fez Fernando Affonso Collor de Mello e seu sócio Paulo César Farias, este, assassinado. Se a ditadura declarada ainda não foi possível, os petralhas vêm mamando a dentadas; instituições como a Petrobras já exibem sinais de anemia.

A analisar o tabuleiro do xadrez político, neste momento, lê-se claramente que o plano de Lula está dando certo: pôs na presidência uma mulher amestrada, dessas que não têm vida própria, que se projetam no marido, ou, no caso, em Lula, que sempre soube que a marionete é incompetenta (sic); assim, PT e povão já começaram a clamar pela volta do Juscelino Kubitschek de ponta à cadeira de onde pode comandar, de direito, a bacanal no rabo dos brasileiros.

Lula sempre mostrou a que veio. Fez sempre a apologia de gorilas sanguinários mundo afora, como o urubu velho, mas ainda perigosíssimo, Fidel Castro; o zumbi ladrão bolivariano Hugo Chávez; ditadores antropófagos africanos; o lhama-de-franja, a bruxa argentina, e por aí afora. Zé Dirceu, condenado pelo Supremo à cadeia por chefiar a quadrilha do mensalão, era o braço direito de Lula, até ser agarrado pela banda boa do país; Zé Dirceu continua agindo, também nas sombras. Quando pegaram Zé Sarney, o maior patrimonialista brasileiro ainda vivo, e que jogara o Senado na clandestinidade, Lula declarou que ele é intocável, e ficou por isso mesmo.

Pelo andar da carruagem, enquanto Dilma Rousseff, a competenta (sic) marioneta (sic) de Lula, cai nas consultas de opinião, Lula sobe; e ele, nesse embalo, já voltou a falar besteira no seu eterno palanque. Será que seus tornozelos desincharam? Lula sobe nas consultas até porque a oposição, principalmente os tucanos, continua achando que voltará ao poder pela sua elegância, pelo brilho intelectual e outras tantas besteiras, se vermos essa questão do ponto de vista eleitoral. Parece que a tucanada tem é rabo preso, ou, parafraseando o ditado: quem tem cloaca tem medo.

Assim, Fernando Cavendish, da Delta Construções; Carlinhos Cachoeira; Sérgio Cabral; Zé Dirceu e quadrilha; Zé Sarney; Renan Calheiros; Paulo Salim Maluf; Jader Barbalho; Fernandinho Beira-Mar etc. etc. etc., estão todos esperando a volta da legalidade para eles.

Todos sabemos que o Brasil, o país potencialmente, e de longe, mais rico do planeta, só não ombreou os Estados Unidos por causa da corrupção que o sangra, e, nos últimos 10 anos, com hemorragia; mas ninguém sabe como estancar isso. O povo já começou a espernear nas ruas das grandes cidades brasileiras, e as Forças Armadas estão na delas, aquarteladas, vigiando a democracia. Será preciso guerra civil? Na Guerra Civil Espanhola morreram cerca de meio milhão de combatentes e civis; na Guerra de Secessão, em torno de 625 mil.

As guerras civis são sempre fratricidas; é quando preconceito, ódio, intolerância, transformam seres humanos em hienas. Nas zonas metropolitanas brasileiras, o crime organizado, especialmente o de colarinho branco, já avançou a tal ponto que, para se defender, aqueles que não podem andar em carros blindados, ou de helicóptero, e que não podem morar em fortalezas, pelo contrário, tendo às vezes que morar na rua, travam batalha diária, dia e noite, encurralados por assaltantes, drogados e patifes em geral. Nos hospitais, saqueados por políticos e quadrilheiros sedentos por dinheiro, a morte espreita, vulgar como cachorro vila-lata.

O pior de tudo é que professores são apenas tolerados pela canalha política, e as escolas públicas se transformaram em casamatas da cultura; e as universidades, em últimos redutos da pesquisa e tecnologia. Quanto aos bandidos, estão protegidos pela legislação eleitoral. A propósito, velhos políticos, como Zé Sarney, são as mucuras escaladas para a reforma política. Eles já têm a chave do galinheiro e vêm mordendo a teta há muito tempo. Agora, é claro, vão dar o passo final para a instalação de um regime de partido único. Será esse partido o PTMDB?

2 comentários:

  1. Subdesenvolvimento é principalmente falta de caráter e de ética, e não escassez de recursos ou de capital. Neste quesito o PT nos levou ao nível da miserabilidade!

    ResponderExcluir
  2. A crise é muito grave e, a meu ver, o sistema político inteiro trincou, está rachado de cima a baixo. Os partidos e autoridades que temos são os que gerou a sociedade desequilibrada que temos, produto em última análise das deficiências culturais do povo brasileiro. Como consertar isso? Talvez transformando o país, de república "federativa"(o que realmente significa esse termo?), em uma CONFEDERAÇÃO, como o são o Canadá, a Suíça, os EUA, a Índia, etc. Com maior independência para os estados ou subdivisões destes, penso que ficaria mais fácil de administrar e cada população poderia tirar melhor as lições de suas próprias escolhas eleitorais.


    ResponderExcluir