sábado, 30 de agosto de 2014

Polo Industrial de Manaus consolida-se como o coração do Amazonas; sem ele, estado voltaria à Capitania de São José do Rio Negro

Rebecca Garcia pretende coordenar a implementação de
ensino técnico em todos os municípios do Amazonas; a
modernização da malha de 
escoamento 
do Polo 
Industrial

da Zona 
Franca; e o saneamento básico de Manaus



Rebecca Garcia coordena em Brasília debate sobre logística e infraestrutura da Zona Franca de Manaus


BRASÍLIA, 30 DE AGOSTO DE 2014 – A Zona Franca de Manaus (ZFM) se tornou, ao longo do tempo, o único filão econômico capaz de garantir o desenvolvimento sustentável do Amazonas, mantendo praticamente intacta a parte que lhe cabe na maior floresta tropical do planeta. O resultado disso é que uma parcela expressiva da população da hinterlândia mudou-se para a capital, atrás de emprego, e a maioria dessas famílias foi morar em favelas, sobre esgoto a céu aberto. Agora, o desafio do próximo governo é sanear Manaus; construir modernas vias de escoamento dos produtos de um dos mais estratégicos projetos econômicos da Amazônia; e levar o ensino técnico para todos os municípios do estado, para ampliar a produção e conter o êxodo rural.

É sobre isso que a deputada federal Rebecca Garcia (PP/AM), candidata a vice-governadora do Amazonas na chapa do senador Eduardo Braga (PMDB/AM), coordenará debate, nesta terça-feira 2, na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio da Câmara dos Deputados. Inúmeros estudos apontam gargalos nos modais de transporte, especialmente portos, hidrovias e aeroportos, problemas que, somados à falta de investimentos na infraestrutura e logística, transformam-se num pesadelo para o país e num inferno para a Amazônia, como no caso do Polo Industrial de Manaus (PIM).

“A problemática no abastecimento de insumos e na distribuição de mercadorias afeta diretamente a rotina das indústrias e seus operários. Por isso, é urgente e necessário aprofundarmos o debate sobre as alternativas de investimentos” – alerta Rebecca, sobre os prejuízos do setor produtivo do Brasil, especialmente da Zona Franca de Manaus (ZFM).

No evento, serão discutidas as soluções apontadas no Plano Brasil de Infraestrutura Logística, trabalho coordenado pelo amazonense Antônio Jorge Cunha Campos, doutor em Engenharia de Produção, Logística e Transporte, e desenvolvido com participação de todos os conselhos regionais de administração do Brasil.

“O estudo será apresentado no debate porque traz um panorama completo sobre a necessidade de investimento na infraestrutura e logística do país, além de soluções para integração dos modais de transporte. Essa integração é o fôlego que a Zona Franca de Manaus precisa para ter preço e condições competitivas em relação aos outros países” – explica a deputada amazonense.

O Congresso Nacional promulgou dia 5 a prorrogação dos incentivos fiscais da ZFM até 2073. O PIM abriga mais de 600 indústrias, gerando mais de meio milhão de empregos, diretos e indiretos, principalmente nos segmentos de eletroeletrônicos, duas rodas e químico. Em 2006, o estado arrecadou das empresas do polo R$ 3,6 bilhões (com aumento de 71,52% em relação a 2002) e o governo federal, R$ 6,8 bilhões (alta de 102,86% em relação a 2002).

Na primeira reunião do Conselho de Administração da Superintendência da Zona Franca de Manaus (CAS/Suframa), após a prorrogação ZFM, foram aprovados 36 projetos industriais e de serviços, com investimentos de aproximadamente US$ 402 milhões, dos quais investimentos fixos, com geração de empregos projetada em 1.727 postos de trabalho.

Mas infraestrutura, logística e transporte deficientes oneram o preço final dos produtos, reduzindo a competitividade da ZFM no mercado nacional.

EDUARDO BRAGA

Pesquisa do Ibope/Rede Amazônica, divulgada dia 12, mostra que Eduardo Braga pode se eleger governador no primeiro turno, com    52%; José Melo (Pros), atual governador, segue-lhe com 24%.

Paraense de Belém, 54 anos, Eduardo Braga é amazonense até os ossos. Vereador em Manaus (1983-1985), deputado estadual (1987-1991), deputado federal (1991-1992), vice-prefeito (1993-1994), prefeito de Manaus (1994-1996) e governador do Amazonas (2003-2010), elegeu-se senador em 2010, pelo PMDB, com 42,07% dos votos (1.236.970).

Em caso de eleição de Eduardo Braga e Rebecca Garcia, a vice-governadora deverá ocupar uma secretaria especial, na qual pretende coordenar três grandes projetos: levar ensino técnico a todos os municípios do estado; construir moderna malha de escoamento dos produtos da Zona Franca; e sanear Manaus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário